"A educação é aquilo que sobrevive depois que tudo o que aprendemos foi esquecido" (Skinner)

domingo, 7 de março de 2010

Minha Trajetória

Falar da minha infância é algo que me bons momentos faz lembrar e felizes de minha vida. Tudo começou quando minha Mãe e meu Pai se casou enguias resolveram morar aqui em Jequié / Ba. Depois de dois anos de casada ela me teve para a felicidade de todos, ai quando eu completei dois anos, minha irmã veio Kaly e depois veio meu irmão Dodô.

Nossa infância foi vivenciada mais com minha mãe do que com meu pai, pois meu pai trabalhava em Salvador e só vinha em nos ver mês em mês, sentíamos muito a falta dele, mas o que nos confortava era que quando ele ligava e dizia q estava vindo à agente sabia que ele ia trazer uma caixa de chocolate ai passávamos o dia esperando ele chegar.
Na rua os nossos amigos só brincava quando agente podia brincar, quando minha mãe dizia que nenhum de nos três podia brincar, uma brincadeira perdia a graça e acabava todo mundo sem brincar. Eu adorava brincar de escola, eu era sempre uma professora e um colega que tinha também gostava de ser o professor, ai se dividia em duas turmas e ficava uma disputa de quem era o melhor professor (rsrsr).

Mas foi um período maravilhoso, que chego a sentir o "cheirinho de saudade", brincávamos muito, de esconde-esconde, pega-pega, casinha, professora, teatro, gincanas, amarelinha e muitas outras, sabe, era tão bom esse tempo, Gostava de ir para casa da minha Avó, que é pertinho da minha casa e lá agente se divertia muito eu e meus irmãos e minhas primas, subíamos no pé de tamarindo e siliguela e fazíamos uma festa um, brincar de se esconder e ter que rodear Rua rsrsr ().


Trajetória Escolar

Meu período escolar foi muito bom, tenho uma tia professora de Escola Pública ensinava que no salão da Igreja Nossa Senhora Aparecida e foi com ela que comecei ir à escola e conhecer esse mundo encantador, ela me levou para ver se eu me adaptava, e nos Primeiros dias me identifiquei muito com tudo, gostava de COM OS está meus colegas, fazendo as Tarefas e ajudando a minha tia. Já meus irmãos não, os primeiros passos deles foram na escola particular e depois Seguiram o mesmo trajeto que eu.

Depois mudei de escola e fiz uma segunda série, também no salão de uma igreja agora foi na Igreja Batista, não foi, mas com minha tia, foi com uma ótima professora, Cida que até hoje tenho contato com ela. Minha terceira escola foi a Maria Biondi onde tive muito aprendizado, muitos amigos e uma professora muito Rigorosa que me "Dava medo" da base TRADICIONALISTA na "decoreba".

Novamente tive que mudar de escola e fui fazer 4 ª serie na Escola Amélia Ribeiro com uma professora Verbena encantadora, que tinha uma facilidade e passar os seus conteúdos de forma mágica.

O período da primeira a quarta série Foi mais rigoroso. Era um ensino de caráter tradicional, em que o professor é o centro do ensino, é o sujeito que detem todo o conhecimento, e os alunos são vistos apenas como receptores passivos dos conteúdos.

No momento do recreio, brincava com os colegas, de elástico, de pega-pega, de bola, de roda e outras brincadeiras. E a hora da merenda! Acho que todos aguardavam ansiosos principalmente quando era Almôndegas com arroz, iogurte ea famosa feijoada da sexta-feira ... Hum ... Que delicia!

Cursei Quinta de uma oitava série no colégio Presidente Médici, tive vários professores, fiz muitos amigos nesse período e quebrou um pouco do tradicionalismo e trabalhávamos muito com o teatro, coreografias, apresentação, mas não deixava de ter um Atribuição da nota final dos trabalhos não .

Minha mãe prometia agente se passasse de ano Os Três ia para Salvador para a casa da minha Avó, era então o ano todo na pressão, se perder de ano NÃO TEM viaje para Salvador, mas perdendo ou passando todo ano agente ia passar as férias lá e até hoje eu vou.
E fiz o ensino médio no colégio "Modelo", que, ah saudade. Ali sim com vontade de viver ensinam, os professores tem o compromisso com uma educação, se preocupa com os seus alunos e transmite de forma clara os seus conteúdos. A relação professor-aluno sempre foi agradável, existia uma relação de troca de saberes surpreendente e tenho dois professores que foram Peça chave para minha formação Prof ° Joce e Prof ª Valzenaide.

Mcomo lá não era só flores ... Tinham como meta principal preparar o aluno para nao ser aprovado vestibular, não se preocupavam muito não formando Estavam sujeito que ...
O melhor de tudo mesmo foram os amigos que conquistei ... Amizades de verdades, amigas que virarão irmãs ... Inesquecíveis! Amadas!
Enfim, ao concluir o segundo grau ainda não tinha certeza do curso que optaria para prestar vestibular. Entretanto tinha que escolher um curso, Optei não prestar vestibular logo banca e fiquei dando e fazendo cursinho por um ano, no cursinho fui muito influenciada a fazer o curso de fisioterapia, mas percebir um ritmo que não era a minha área de saúde, e realmente uma Psicologia era que eu queria, mas não tendão o curso, Optei por Pedagogia que é o que eu mais me identificava de todos que tinham na época e não me arrependo em ter escolhido o.


Trajetória Acadêmica


Ao prestar o vestibular para o Curso de Pedagogia, não tinha uma definição correta em mente do que viria ser o curso um, mas Ao longo do tempo fui descobrindo que esta ciência se encarrega de estudar diversos temas relacionados à educação, tanto nenhum aspecto teórico quanto prático não. Foi o meu primeiro vestibular que, assim que recebi o resultado vestibular não tinha passado, também recebi uma proposta de trabalhar na área da educação me apaixonando pela área, Apesar dos pesares, é uma boa área para se trabalhar e até hoje continuo nessa batalha de trabalhar e estudar de manhã a tarde na "Escola Jóias Cristo".

Foi então que em Agosto de 2006 comecei minha vida acadêmica na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) campus de Jequié cursando, o curso de Licenciatura Plena em Pedagogia, no qual a princípio eu ainda não compreendia A importância dessa área da ciência para um Transformação da Sociedade. Por isso me mantinha ainda resistente ao que o curso poderia me enquanto aprendiz Oferecer.

Não me arrependo da escolha que fiz, pois vejo como esta profissão professor () é algo que ao longo do curso, percebi que é uma das mais belas e difíceis ao mesmo tempo ser uma carreira em seguida. A Responsabilidade do Profissional da Educação Infantil é muito grande, por isso faz se necessário que o mesmo tenha a consciência do seu papel social.

Ao se iniciar o curso pude perceber o quanto Seria necessário estar sempre lendo, estudando e pesquisando cada vez mais. Nessa busca pelo conhecimento, ao procurar sempre Alcançar melhor capacitação e formação profissional e pessoal, Deparei-me com algumas disciplinas marcantes e significativas dentro desse processo, alguns professores Nas Quais fizeram a diferença. Como Elenice Ferreira (História da Educação I e II) Sandra Suely (Psicologia da Educação I, II e III), Fábio Mansano (Ciência Política), Josmar Barreto (Educação Sexual), Cacia Rehem (Avaliação da Aprendizagem), Sirlândia Santana (Currículos e Programas), Roberta D'Angela Menduni Bortoloti (Conteúdos e Métodos do Ensino Fundamental de Matemática), Paulo Marcelo (Cont. e Met. Do Ensino Fundamental de Ciência) e Ana Luíza Prisco (Didática I / Metodologia da Alfabetização / Cont. E Met. Do Ensino Fundamental de Geografia).
A Pedagogia tem como objetivo principal uma Melhoria no processo de aprendizagem dos indivíduos, Através da reflexão, sistematização e produção de conhecimentos.

E neste ponto entra o nosso papel de educadores, que ser formar DEVE Sujeitos Capazes de construir uma sua própria autonomia e não depositar o conhecimento pura e simplesmente por uma questão de Cumprir carga horária, ou de ter apenas um conteúdo que transmitir engessado ".

Entre educador e educando não há mais uma relação de verticalidade, em que um é o sujeito eo outro objeto. Agora a pedagogia é dialógica, pois ambos são Sujeitos do ato cognoscente. É o aprender "ensinando eo ensinar aprendendo". O diálogo, em Freire, exige um pensar verdadeiro, um pensar crítico. Este não dicotomiza homens e mundo, mas os vê em contínua interação. Como seres inacabados, os homens se fazem e refazem na interação com mundo, objeto de sua práxis transformadora.

A lição maior como educadores que temos de Freire é a preocupação com o social. A busca de propostas e alternativas Devem ser uma constante em nosso dia a dia, no sentido de resgatar o homem ", o" cidadão "eo" trabalhador "da alienação de seu" Ser ", de seu Exercício de cidadania e de sua dignidade.

Podemos a partir destes pressupostos, fazer algumas reflexões sobre o que vem a ser um Educação infantil, e também pensando a respeito das práticas que permeiam esse assunto. Historicamente, no Brasil, a Educação Infantil tem Sido encarada de diversas formas: como Função de Assistência Social, como Função sanitária ou higiênica e, mais recentemente, como Função pedagógica.

A Educação Infantil para as classes menos favorecidas tem como concepção de que as crianças das classes trabalhadoras Têm deficiências de todos os tipos (nutricionais, culturais, cognitivas, etc), como Quais PRECISAM ser compensadas pela escola, a fim de que, no futuro, Como crianças POSSAM ter alguma instrução e, assim, desempenhar o seu papel na sociedade: o de trabalhador.

A afetividade não ambiente escolar contribui para o processo ensino-aprendizagem considerando uma vez, que o professor não apenas transmite conhecimentos, mas também ouve os alunos e ainda Estabelece uma relação de troca. Deve dar-lhes atenção Expondo opiniões e cuidar para que aprendam um expressar-se, dando respostas e fazendo opções pessoais.

Encontramos em nossa prática pedagógica do estágio em educação infantil, crianças carinhosas, amorosas, educadas e atenciosas, sim havia momentos de falta de afetividade, mas esses momentos foram raros, foram marcantes mesmo às Demonstrações de carinho, da inocência e tão doce que permeia o Mundo Infantil, pelo simples fato de criança "ser".

A Educação Infantil Constitui-se em um espaço de aprendizagem que busca favorecer o desenvolvimento de habilidades psicomotoras, sócio-afetivas e intelectuais da criança, Oferecendo-lhe oportunidade para uma manifestação da autonomia, do senso crítico e da criatividade. Vygotsky (1998) considera que o desenvolvimento Ocorre que ao Longo da Vida e As funções psicológicas superiores são construidas ao longo dela. Ele não Estabelece fases para explicar o desenvolvimento como Piaget e para ele o sujeito não é ativo nem passivo: é interativo.

A Educação Infantil tem a Função de preparar a criança para o ingresso, com sucesso, na primeira série do Ensino Fundamental. Fixando o olhar sobre as praticas realizadas na Educação Infantil, podemos estimar o papel desempenhado pelo brincar Destinado Tempo eo uma pratica esta.

Segundo Vygotsky, um E.U.A. Criança como interações sociais como formas privilegiadas de Acesso a informações: aprendem uma regra do jogo, por exemplo, Através dos outros e não como o resultado de um engajamento individual na solução de problemas. Desta maneira, aprende a regular seu comportamento pelas reações, quer elas pareçam Agradáveis ou não.

É difícil falar da Educação Infantil, sem a inserção do brincar. Segundo Vygotsky (1998), a brincadeira cria uma zona de desenvolvimento proximal na criança, TENDO enorme influência em seu desenvolvimento, tanto pela situação imaginaria como pela definição de regras especificas. Na brincadeira a criança se comporta de maneira mais avançada do que nas atividades da vida real e também aprende os objetos e significados.

Nessa disciplina "Práticas Pedagógicas" tivemos uma oportunidade de ter contato com uma prática, pudemos perceber como funciona de fato uma escola, uma sala de aula, um pouco do papel do professor de educação infantil, das crianças ea organização estrutural de uma Instituição Escolar.

Imprescindível na formação do pedagogo, além de o estágio obrigatório faz-se necessário, pois, é nesse período que o profissional terá contato com o real e uma prática PODERÁ Verificar se realmente é nessa área que queres atuar, além de Proporcionar ao estudante um enriquecimento profissional e pessoal. Porém, no curso de Pedagogia essa experiência só nos é propiciada nenhuma semestre VII, o penúltimo do curso. Acredito que esse ato impossibilita que haja uma maior interação e adaptação entre discente e prática pedagógica

O estágio foi uma experiência extremamente marcante para mim, pois, mesmo eu sendo professora de Educação Infantil não é a mesma coisa de quando você esta estagiando, ali foi um momento único, pude ter um contanto mais livre e direto com as crianças, percebendo e participando desse intenso movimento de relação contínua entre teoria e prática. Foi uma troca de aprendizado surpreendente como crianças são muito adoráveis, simples e inteligentes.

O que pudemos observar em suma, foi o desenvolvimento de cada criança que nos superou, foi muito gratificante ter uma oportunidade de trabalhar com crianças tão adoráveis como aquelas, não tinha preguiça de nada, adoravam as atividades, as músicas, um brincadeiras, um Histórias infantis.

O contato com essas crianças me fez refletir sobre questões como Inúmeras, como dificuldades encontradas pelo professor de Educação Infantil atuante na rede pública de ensino, sua dificuldade em lidar com crianças vindas de ambientes aparentemente sem qualquer harmonia familiar ea formação continuada Devido a Necessidade do Sistema de ensino.

As disciplinas e os professores passaram que até então pelos semestres estudados contribuíram de certa forma com minha formação acadêmica que ainda está em processo, desde o primeiro semestre até o atual, professores tivemos que foram verdadeiros mestres, outros que Poderiam ser melhores, mas até com Estes aprendemos a refletir sobre que tipo de Ser profissional iremos.

E hoje chegando no 8 ° semestre, posso sentir o quanto de bagagem trago para passar para meus alunos, como é importante conhecer as fases do desenvolvimento infantil plena pra que a aprendizagem aconteça de forma,. Passei pelo primeiro estágio e hoje me preparo para mais uma caminhada, rumo ao estágio do ensino fundamental, com muita expectativa, pois tenho certeza que quero ser professor, sinto muita satisfação quando estou em sala de aula. Essa é a minha pequena trajetória de vida ...

2 comentários:

  1. Deizy, é verdade mesmo tendo alguma experiência na área, quando estamos no estágio é diferente. Mas graças a Deus que nós conseguimos vencer uma etapa e vamos com certeza vencer essa outra com muito sucesso.
    Beijos
    Eliana

    ResponderExcluir
  2. Deise seu blogger está maravilhoso e sua trajetória é de muita força de vontade.... bjs

    ResponderExcluir